APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS (APF) | Comunilog
  • Contactos : 271 100 017 | 961 926 240
  • Email : formacao@comunilog.com

APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS (APF)

APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS (APF)


O curso de Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos (APF) pertende capacitar os participantes para a manipulação e aplicação segura de produtos fitoframacêuticos, minimizando os rscos para o aplicador, o ambiente, espécies e organismos não visados e o consumidor, de acordo com os princípios da proteção integrada.


Destinatários

- Organizações de agricultores;
- Técnicos Comerciais;
- Desempregados;
- Trabalhadores Agrícolas;
- Profissionais que exerçam ou venham a exercer a sua actividade produtiva na área agrícola, nomeadamente na aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos;
- População em Geral.


Objetivos

Dotar os participantes dos conhecimentos, procedimentos e técnicas adequadas para a aplicação segura dos produtos fitofarmacêuticos.


Programa

1- Apresentação do grupo
2- Levantamento de expectativas dos participantes
3- Apresentação do programa de ação
I.1.1- Luta biológica;
I.1.2- Luta cultural;
I.1.3- Luta genética;
I.1.4- Luta biotécnica;
I.1.5- Luta química;
I.2.1- Evolução da proteção das plantas;
I.2.2- Legislação específica;
I.2.3- Princípios gerais de proteção integrada;
I.2.4- Estimativa do risco e modelos de previsão;
I.2.5- Nível económico de ataque (NEA);
I.2.6- Tomada de decisão;
I.2.7- Luta química - Seleção de produtos fitofarmacêuticos;
I.2.8- Registo dos tratamentos realizados (caderno de campo);
I.3.1- Princípios da PRODI;
I.3.2- Estratégia de produção;
I.3.3- Principais técnicas de produção;
I.3.4- Regulamentação e registos;
I.4.1- Princípios gerais;
I.4.2- Regulamento Comunitário relativo à Agricultura Biológica;
II.1.1- Definição de produto fitofarmacêutico;
II.1.2- Classificação química;
II.1.3- Modos de ação;
II.1.4- Formulação;
II.2.1- Homologação dos produtos fitofarmacêuticos;
II.2.2- Produtos ilegais - sua identificação;
II.2.3- Distribuição, venda e aplicação;
II.2.4- Gestão de resíduos de embalagens e de excedentes;
II.2.5- Outra legislação aplicável ou complementar;
II.3.1- Aspetos toxicológicos inerentes à manipulação e aplicação dos produtos fitofarmacêuticos;
II.3.2- Símbolos toxicológicos e ecotoxicológicos;
II.3.3- Informação e leitura do rótulo;
II.3.4- Equipamento de proteção individual (EPI);
II.3.5- Relação entre o EPI e as diferentes características dos produtos fitofarmacêuticos;
II.3.6- Alguns sintomas de intoxicação com produtos fitofarmacêuticos;
II.4.1- Verificação das condições de trabalho, condições atmosféricas, material de aplicação a utilizar, leitura do rótulo;
II.4.2- Cuidados com a preparação da calda;
II.4.3- Noção de dose e de concentração da calda;
II.4.4- Utilização do EPI correto;
II.5.1- Impacte no ambiente do uso de produtos fitofarmacêuticos;
II.5.2- Riscos para as espécies e os organismos não visados resultantes da aplicação dos produtos fitofarmacêuticos;
II.5.3- Preparação da calda;
II.5.4- Eliminação de excedentes de calda;
II.5.5- Lavagem do equipamento de aplicação;
II.5.6- Gestão de embalagens e produtos obsoletos;
II.6.1- Noção de resíduo;
II.6.2- Limite Máximo de Resíduo;
II.6.3- Intervalo de segurança;
II.6.4- Exposição do consumidor e cumprimento das indicações do rótulo;
II.6.5- Controlo de resíduos;
III.1.1- Características do material de aplicação;
III.1.2- Critérios para a escolha do material de aplicação;
III.1.3- Técnicas de aplicação, calibração e regulação do material de aplicação;
III.1.4- Arrastamento da calda;
III.1.5- Cálculo de doses, concentrações e volumes de calda com herbicidas, inseticidas, fungicidas e outros produtos fitofarmacêuticos;
III.1.6- Conservação e manutenção do material de aplicação;
II.3.1- Aspetos toxicológicos inerentes à manipulação e aplicação dos produtos fitofarmacêuticos;
II.3.2- Símbolos toxicológicos e ecotoxicológicos;
II.3.3- Informação e leitura do rótulo;
II.3.4- Equipamento de proteção individual (EPI);
II.3.5- Relação entre o EPI e as diferentes características dos produtos fitofarmacêuticos;
II.3.6- Alguns sintomas de intoxicação com produtos fitofarmacêuticos;
II.4.1- Verificação das condições de trabalho, condições atmosféricas, material de aplicação a utilizar, leitura do rótulo;
II.4.2- Cuidados com a preparação da calda;
II.4.3- Noção de dose e de concentração da calda;
II.4.4- Utilização do EPI correto;
II.5.1- Impacte no ambiente do uso de produtos fitofarmacêuticos;
II.5.2- Riscos para as espécies e os organismos não visados resultantes da aplicação dos produtos fitofarmacêuticos;
II.5.3- Preparação da calda;
II.5.4- Eliminação de excedentes de calda;
II.5.5- Lavagem do equipamento de aplicação;
II.5.6- Gestão de embalagens e produtos obsoletos;
II.6.1- Noção de resíduo;
II.6.2- Limite Máximo de Resíduo;
II.6.3- Intervalo de segurança;
II.6.4- Exposição do consumidor e cumprimento das indicações do rótulo;
II.6.5- Controlo de resíduos;
III.1.1- Características do material de aplicação;
III.1.2- Critérios para a escolha do material de aplicação;
III.1.3- Técnicas de aplicação, calibração e regulação do material de aplicação;
III.1.4- Arrastamento da calda;
III.1.5- Cálculo de doses, concentrações e volumes de calda com herbicidas, inseticidas, fungicidas e outros produtos fitofarmacêuticos;
III.1.6- Conservação e manutenção do material de aplicação.